Maturidade emocional: como orientar filhos e alunos?


Saiba o que é maturidade emocional e porque ela é essencial para o desenvolvimento das crianças.


Muito se fala, atualmente, na importância de se ter maturidade emocional e nas implicações que podem existir na falta dela.


No artigo “Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional”, disponível no portal Algarve Primeiro, é possível ver algumas dicas para ajudar os mais novos a conquistarem essa maturidade.


O texto mostra que em linhas gerais, a maturidade emocional é a base para enfrentar desafios, desenvolver a autoconfiança e a habilidade de nos relacionarmos com os outros, além de fortalecer nossa personalidade.


É a partir dela que nos fortalecemos e nos tornarmos capazes de lidar melhor com diversos tipos de pessoas e situações, promovendo o nosso bem-estar.


Após uma breve explicação científica acerca do funcionamento do nosso cérebro e sua relação com a maturidade emocional, o artigo mostra que esta é essencial para nossos futuros adultos desfrutarem a vida plenamente.


Para isso, precisamos ir além da educação voltada para o desenvolvimento cognitivo, para testes e jogos de raciocínio, e focarmos mais nas interações socioafetivas qualificadas, pois estas ajudam a mente a ser mais coerente emocionalmente.


Ao fazermos isso, tanto na escola quanto em família, as crianças conseguirão aprimorar, constantemente, a compreensão sobre as suas próprias emoções.


O artigo também faz uma importante citação do psicólogo Marcelo Mendes, da PUC-Campinas (SP) reforçando que, “ter essa capacidade significa possuir uma inteligência emocional (QE) sadia, tão importante quanto a inteligência cognitiva (QI).


Isso significa que não adianta a criança ser intelectualmente capacitada se não sabe lidar com críticas, por exemplo”.


Como desenvolver o QE:


Para facilitar a tarefa, o mesmo psicólogo enumerou cinco pontos essenciais que tanto a escola quanto a família devem trabalhar com a criança para desenvolver o QE desta: Vínculos afetivos e efetivos.Autoestima.Resiliência.Frustrações.Brincadeira.


O mesmo também defende que, embora o compromisso de desenvolver a maturidade emocional seja primeiramente uma tarefa dos pais, a escola também precisa apoiar nesse processo, aliando o ensino acadêmico ao emocional, promovendo um ensino verdadeiramente integral.


Fonte: Escola da Inteligência

11 visualizações
  • Facebook
  • Instagram