A importância da parceria família x escola e o projeto de vida em família


O mundo tem se tornado cada vez mais desafiador, incerto, competitivo, exigente. O medo do desemprego, aliado ao maior acesso a bens de consumo, levou o ter a se tornar efetivamente mais relevante do que o ser em muito dos nossos lares.


O desencanto com boa parte das nossas autoridades, marcas e referências que tanto politicamente quanto comercialmente nos abandonam, nos faz agir como se tudo fosse relativo, como se nada importasse. Qual o problema do filho entregar a tarefa copiada da internet? Todo mundo não age assim? O que tem de errado em discordar da escola nos grupos de Whatsapp? Não é o que todo mundo faz? Para que comprar o livro se dá para xerocar? Quando um adulto age assim, ele se posiciona como o político que rouba “pela causa” ou como o empresário que não faz a manutenção adequada de suas instalações porque isso custaria mais caro do que indenizar possíveis vítimas.


Todos têm o direito de crescer com dignidade! Aliás, isso consta em nossa Constituição Federal: é tarefa da Família, da Escola e da Sociedade educar com caráter e dignidade.


É por isso que Escola e Família devem ser parceiras e não se colocarem em campos opostos, pois têm uma missão em comum.


Passou da hora de elevarmos a nossa barra de exigência com a nossa própria vida. Se queremos filhos/alunos autônomos, resilientes e com caráter elevado, precisamos sair da bolha ilusória que nos protege das adversidades. Mimar, superproteger, esconder deficiências ou querer privilégios descabidos para nossas crianças e jovens não são gestos de amor. Se queremos que eles sejam felizes, não temos que comprar isto para eles, ao contrário! Devemos ensiná-los a lidar com a infelicidade e aí sim, estaremos no caminho certo.


Educar dá trabalho. Dá trabalho fazer com que os hábitos de higiene sejam mantidos, dá trabalho encarar o bico e a cara feia diante da negativa de mais um game. Dá trabalho exigir lições bem feitas. Dá trabalho ser humilde e diante de uma nota ruim ou uma advertência sentar junto para encontrar o melhor caminho em prol de uma educação e uma formação que sejam realmente levadas a sério pela Escola e pela Família.

Dá trabalho educar bem.


O que muitas vezes se esquece é que não fazer tudo isso vai dar muito mais trabalho perante as inescapáveis provas da vida. E elas chegam, ah se chegam.


Ou todos nos unimos, ou todos perdemos. Escolas que introduzem em seu currículo propostas que estimulam o sonho, a ousadia, o brincar, o autoconhecimento, que estimulam as escolhas assertivas, as perspectivas e os projetos dignos para seus alunos e respectivas famílias, estão fazendo a sua parte!


Quem ama cuida, há muito já se diz isso. Nosso cérebro se desenvolve da mesma forma que os músculos: pelo exercício. Assim como eles precisam de amor e de cuidado, o nosso cérebro também. E você, pai ou mãe:  o que tem exercitado na sala da sua casa para formar um bom eco com o que os professores do seu filho estão neste momento procurando ensinar sobre valores? Que ações concretas têm feito para que na sua família se aprenda a dignidade, a civilidade e o respeito? Quando foi a última vez que você ligou, escreveu ou foi à escola para elogiar? Que atitudes efetivas você fez nas últimas semanas para reforçar a garra, a perseverança e a autonomia de seus filhos? Estas perguntas foram agradáveis de responder? Se sim, que ótimo! Foram desconfortáveis? Fica aqui um convite a uma boa, bela e útil lição de casa para vocês, que se importam! Quem ama cuida, quem ama se cuida. Sua família merece o melhor de você, ou não? Vamos juntos?


Texto: Leo Fraiman

0 visualização
  • Facebook
  • Instagram